sábado, 1 de setembro de 2012

Carta de uma aluna da UFG

Uma carta que não só me emocionou, mas a inúmeros outros colegas professores da UFG. Uma aluna que nos traz muito orgulho de ser seus professores junto à Faculdade de Educação Física desta IFES.

Obrigado Paula Falcão pelo carinho, força, compreensão e luta!


-------------------------------

Nós estudantes sabemos que a situação se complica nessa fase, os ataques se intensificam e o descaso nos enche de desanimo mais do que de revolta. Isso é a luta de classes, e é assim mesmo que responde o capital no momento em que se estabelece o conflito. Mesmo assim, fazemos coro com os que falam que não podemos minar nosso movimento, não podemos nos derrotar. Temos que ir adiante, continuar...
Sabemos também, infelizmente, que a greve para os estudantes só dura enquanto durar a dos professores, e por isso estamos apoiando a greve de vocês. Não depositamos nas suas costas as responsabilidades da nossa luta, apenas vemos essa atitude como nossa estratégia de combate. E assim vamos para as assembleias sempre para ver “aquele” grupo de professores que desde o início pautou a qualidade da educação pública e principalmente condições dignas de trabalho.
E foi exatamente nessa luta, por uma educação de qualidade, que vocês ganharam uma coisa que talvez a priori não tenha tanto valor quanto os pontos de pauta presentes na mesa de negociação, mas que na nossa perspectiva, nesse momento histórico do ME é de grande importância. O orgulho, a confiança e o respeito que creditamos a vocês por #lutarem sempre é que nos faz novamente acreditar na universidade e lutar por ela.
Esperamos ver vocês nessa próxima assembleia com o mesmo discurso, firmes, convictos de seus ideais e da greve que estamos construindo.  E se o que se espera de nós nesse momento é o desgaste e a desanimação, talvez seja esse o momento de mostrarmos o motivo de nos chamarem de RESISTÊNCIA, temos que nos manter firmes e incomodar muito ainda! Se o governo não negocia, pressionamos; Se nos pressionam, resistimos; E se disserem que acabou e que estamos derrotados, então este é o momento de irmos juntos pra rua, dizer para a sociedade: “ESTAMOS EM GREVE SIM, E ELA É FORTE!”.
Força na luta mestres/companheiros, que ela é pra vencer!!!!
Paula Falcão – Estudante de Educação Física FEF/UFG