segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

III Seminário Nacional Literatura e Cultura - São Cristóvão-SE

III Seminário Nacional Literatura e Cultura
6 a 8 de junho de 2011- São Cristóvão-SE

O Grupo de Estudos de Literatura e de Cultura (GELIC/UFS/CNPq) e o Núcleo de Pós-Graduação em Letras (NPGL/UFS) e o Núcleo de Estudos sobre Crimes, Pecados e Monstruosidades (CPM/UFMG) apresentam o III SENALIC – Seminário Nacional Literatura e Cultura a fim de priorizar os estudos literários e artísticos a partir de suas fronteiras e tensões entre o estético e o cultural. Esta edição acontecerá no Campus de São Cristóvão da Universidade Federal de Sergipe, no período de 06 a 08 de junho de 2011, com conferências, mesas-redondas e sessões de comunicação relacionadas a simpósios. Neste evento, haverá ainda uma homenagem ao artista plástico sergipano Cícero dos Santos, reconhecido nacionalmente como Véio.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

A "vida do atleta"


O “Histórias do Esporte”, da ESPN Brasil deste sábado apresenta a verdadeira luta do atleta brasileiro.
Luta de Lino Barros, o boxeador que levou calote com um cheque sem fundos da Federação de Boxe do Mato Grosso do Sul.
A luta para voltar ao esporte que quase tirou a vida de Fabiana Alves dos Santos.
Você vai acompanhar o renascimento da piloto da seleção Brasileira de Bobsled, abandonada pelo esporte.
Fabiana, que foi campeã também de levantamento de peso e atletismo, sofreu um acidente incrível na Alemanha, mas não contou com qualquer apoio da Confederação Brasileira de Desportos do Gelo.
Fabiana tem dois títulos de melhor atleta dos esportes do gelo, em 2003 e 2010, mas desde o dia do acidente, até agora, não recebeu sequer um telefonema para saber como está a sua saúde.
O programa deste sábado mostra também um treino fantástico no escuro.
No taekwondo,  mestre Tilico, ex-técnico da seleção brasileira, mostra como formar verdadeiros Samurais…
O detalhe?
Ensina com um olho só.
E o presidente Roberto Gesta de Melo vai largar a Confederação Brasileira de Atletismo ?
A equipe da ESPN-Brasil esteve em Manaus para ouvir o dirigente mais antigo  na história de todas as Confederações.
Gesta está há 23 anos à frente da CBAT e vem sendo atacado na imprensa, por nepotismo, inclusive.
Você poderá vir um raios X dos escândalos do Partido Comunista do Brasil, o partido do Ministro dos Esportes.
Novas denúncias de desvio de dinheiro público em benefício de políticos do próprio partido.
Você vai ajudar a fiscalizar a Copa 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 com a turma do “Contas Abertas”, de Brasília.
E uma bomba no esporte brasileiro.
Marco Antonio Ramos, advogado do Pedro Balikian, fisiologista envolvido no maior escândalo de doping da história do atletismo do Brasil, vai botar a boca na eritropoetina ou melhor no trombone: vai defender a liberação do doping com acompanhamento médico e vai dizer que todo atleta do alto rendimento faz uso de hormônios e anabolizantes.
Depois desse “Histórias do Esporte”, o esporte brasileiro corre um sério risco de não ser mais o mesmo.
Histórias do Esporte, sábado, às 11 da noite, na ESPN Brasil.
O roteiro e as reportagens são de Roberto Salim e Marcelo Gomes.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

I Encontro Brasileiro do CBCE sobre Saúde

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Novos contornos europeus

A morte da Europa Social
A história da Europa dependerá de como ela lidará com esta crise; se segue o curso pacífico do benefício mútuo e prosperidade econômica tão apreciados nos manuais de ciência econômica, ou se segue a espiral baixista da austeridade, que tanto tem tornado impopulares os planejadores do FMI, nas economias devedoras. É nesse barco que a Europa embarcará? Esse é o destino do projeto de uma Europa social, de Jacques Delors? É isso o que os cidadãos da Europa esperavam, quando adotaram o euro? Há uma alternativa, nem é preciso dizer. É que os credores do cume da pirâmide econômica arquem com as perdas. O artigo é de Michael Hudson e Jeffrey Sommers.

Letônia e os "Tigres Bálticos": modelo para Irlanda, Espanha e Portugal?

“Sejam como a Letônia!”, gritam os banqueiros e a mídia financeira aos governos da Grécia, da Irlanda e agora, também, de Portugal e Espanha. “Por que não ser como a Letônia e sacrificar vossa economia para pagar as dívidas que contraístes durante a bolha financeira?”. A resposta é que não podem fazê-lo sem sofrer um colapso econômico, demográfico e político que piorará ainda mais as coisas.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

II SIMPÓSIO NACIONAL GÊNERO E INTERDISCIPLINARIDADES

II SIMPÓSIO NACIONAL GÊNERO E INTERDISCIPLINARIDADES – Gênero, trabalho e identidades
Catalão, 29 a 31 de março de 2011

Será que posso dizer: 'inédito'?

Manifesto de economistas defende controle de capital


Documento assinado por dezenas de economistas dos EUA e de outros países, foi encaminhado a autoridades do governo norte-americano defendendo a adoção de mecanismos de controle de capitais especualtivos como instrumento para enfrentar a crise financeira. "Dada a severidade da crise financeira global e sua extensão, as nações precisarão de todas as ferramentas possíveis que estiverem ao seu alcance para evitar e mitigar a crise financeira", afirma o manifesto assinado, entre outros, por Joseph Stiglitz, James K. Galbraith e Ricardo Hausmann.

Dica Literária

UTILIDADE PÚBLICA ACADÊMICA!!!
EDITORA EXPRESSÃO POPULAR 


Banner Clássicos do Marxismo
Promoção válida até 21 de fevereiro, mas existem livros cuja promoção vai até o mês de abril.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

História dos Muques Masculinos

Caros(as) colegas

A prática da musculação e do chamado fisiculturismo estão entre as atividades mais disseminadas atualmente. Seus métodos e concepções, no entanto, deitam raízes em passados às vezes longínquos.

Quer saber mais? Então de uma chegada em nosso Blog Historia(s) do Sport: http://historiadoesporte.wordpress.com
O blog, mantido por uma equipe do "Sport": Laboratório de História do Esporte e do Lazer (www.sport.ifcs.ufrj.br), é uma iniciativa acadêmica, mas os posts são escritos em linguagem leve e acessível. Sem a pretensão de informar com profundidade, pretende antes captar a curiosidade do leitor, demonstrando que essa manifestação cultural com a qual nos deliciamos no dia-a-dia está profundamente articulada com o cenário sociocultural de um tempo.

Cleber Dias
cag.dias@bol.com.br
Comunidade Corporeidade - Estudos Transdisciplinares
www.cev.org.br 

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Violência escolar: um problema de milhões

Em 2008, 350 MILHÕES DE CRIANÇAS FORAM VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA



PESQUISA MUNDIAL REVELA: 350 MILHÕES DE CRIANÇAS SÃO VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA ESCOLAR A CADA ANO

Relatório é parte da campanha global "Aprender Sem Medo", que pretende acabar com todas as formas de violência contra crianças nas escolas; Brasil fará parte do programa. A cada dia, aproximadamente 1 milhão de crianças sofrem algum tipo de violência nas escolas em todo o mundo. E nenhum país está imune. Esses são alguns dos resultados de uma pesquisa conduzida pela Plan, uma das maiores e mais antigas organizações não-governamentais de desenvolvimento. O relatório é parte da campanha "Aprender Sem Medo", lançada hoje em diversos países com o objetivo de promover um esforço global para acabar com a violência nas
escolas.
Além da quantidade alarmante de vítimas, a pesquisa indica que a violência não afeta apenas a personalidade, a saúde física e mental e o futuro potencial da criança, mas traz também danos irreparáveis para a família, a comunidade e a economia nacional. O levantamento retrata a situação mundial em relação a três principais temas vivenciados nas escolas: violência sexual, castigo corporal e bullying. Alguns dados mundiais alarmantes indicam que:
- Meninas sofrem mais com violência sexual;
- Meninos são mais atingidos pelo castigo corporal;
- Vítimas de violência na escola têm maior tendência a cometer suicídio;
- Muitas vítimas morrem devido a ferimentos, complicações de gravidez indesejada ou Aids;
- Garotas vítimas de bullying têm oito vezes mais chances de serem suicidas.

No Brasil especificamente, a pesquisa mostrou que:
- 84% de 12 mil estudantes de seis estados reportaram suas escolas como violentas;
- Cerca de 70% desses 12 mil estudantes afirmaram terem sido vítimas de violência escolar;
- Um terço dos estudantes afirmou estar envolvido em bullying, seja como agressor ou vítima;
- Quando questionadas a respeito de castigo corporal, crianças brasileiras de 7 a 9 anos disseram que a dor nem sempre é só física. Declararam sentir "dor no coração" e "dor de dentro".

Com o relatório e a campanha "Aprender Sem Medo", a Plan – juntamente com parceiros nacionais e  internacionais – quer mostrar que toda a violência contra crianças pode e deve ser evitada. Uma escola isenta de violência é o direito de cada criança. "Todos nós temos um papel a desempenhar, quer como indivíduos, governos ou ONGs: temos de garantir que as crianças possam ir à escola sem medo ou ameaça de violência  e recebam uma educação de qualidade em um ambiente seguro. 'Aprender Sem Medo' pode ser uma  campanha da Plan, mas é responsabilidade de todos", afirma o assessor de Educação da Plan Brasil, Charles Martins.
A estratégia mundial da campanha está baseada em:
- Persuadir os governos a tornar ilegal todas as formas de violência contra as crianças na escola; e fazer com que essas leis sejam cumpridas;
- Trabalhar com os dirigentes escolares e professores para criar escolas livres de violência e promover  métodos alternativos à disciplina de castigos corporais;
- Criar uma dinâmica de mudança global, incluindo aumento dos recursos de doadores internacionais e  governos para combater a violência nas escolas de países em desenvolvimento Bullying.

No Brasil, a campanha terá como principal foco o bullying escolar, incluindo o cyber bullying, e suas  implicações para a educação. Definido como "o desejo consciente e deliberado de maltratar uma outra  pessoa ou colocá-la sob tensão", o termo bullying começou a ser estudado por pesquisadores brasileiros mais intensamente a partir da década de 1990 devido ao alto índice de crianças e adolescentes que sofriam  maus-tratos praticados por colegas, professores ou funcionários da escola.

As vítimas de bullying geralmente perdem o interesse pela escola e passam a faltar às aulas para evitar novas agressões. Essas vítimas apresentam cinco vezes mais probabilidade de sofrer de depressão e, nos casos mais graves, estão sob um risco maior de abuso de drogas e de suicídio. Apesar da ampla divulgação sobre o problema, dos 66 países pesquisados pela Plan, apenas cinco (Coréia, Noruega, Sri Lanka, Reino Unido e EUA) possuem leis que proíbem o bullying nas escolas.

A partir do lançamento da campanha, a Plan iniciará uma mobilização de parceiros (outras ONGs, governos, escolas) e da sociedade civil para começar a implementação do programa em escolas a partir do próximo ano letivo. No Brasil, a Plan já conta com o apoio da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, uma rede social que articula mais de 200 entidades de todo o Brasil.

A Plan é uma organização não-governamental de desenvolvimento centrado na criança e no adolescente. Sem qualquer vinculação política ou religiosa, foi fundada em 1937 e hoje está presente em mais de 60 países. No Brasil atua desde 1997, principalmente nos estados de Pernambuco e Maranhão. Cerca de 1,5 milhão de crianças e adolescentes participam dos programas da Plan em todo o mundo, sendo mais de 75 mil somente no Brasil. Atualmente, a organização desenvolve no país cerca de 50 projetos nas áreas de educação, saúde, promoção de direitos, participação comunitária e segurança alimentar e nutricional.

MATERIAIS DISPONÍVEIS PARA IMPRENSA:
- Resumo do relatório em português/online: www.plan.org.br/publicacoes
- Relatório completo em inglês/online: www.plan.org.br/publicacoes
- Relatório completo em inglês/impresso (sob solicitação)
- Video da campanha: www.plan.org.br/multimidia
- Fotos: www.plan.org.br/aprendersemmedo/fotos

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

10º Salão Nacional de Arte de Jataí

Está aberto o período de inscrição ao 10º Salão Nacional de Arte de Jataí. Inscrições gratuitas e serão realizadas de 09 de fevereiro a 02 de abril de 2011. Estamos enviando regulamento e ficha de inscrição. 
 
Informações (64) 3632-4048 
 
MAC - Museu de Arte Contemporânea
 

V SEMINÁRIO CORPO, GÊNERO E SEXUALIDADE

INSTÂNCIAS E PRÁTICAS DE PRODUÇÃO NAS POLÍTICAS DA PRÓPRIA VIDA
I SEMINÁRIO INTERNACIONAL CORPO, GÊNERO E SEXUALIDADE e o I ENCONTRO GÊNERO E DIVERSIDADE NA ESCOLA.

Esse evento busca trazer para o cenário de debates as práticas, em funcionamento em diversas instâncias sociais, implicadas na produção de políticas direcionadas ao controle do corpo e à regulamentação da vida. Neste sentido, o V Seminário procura discutir e problematizar o papel das práticas sociais na constituição dos corpos contemporâneos, enfatizando as práticas escolares e suas relações com a saúde, a beleza, a socialização e o trabalho. O mesmo está direcionado para professores/as da rede pública e particular de ensino, profissionais da área da saúde, pesquisadoras/es, estudantes de graduação e pós-graduação e demais profissionais interessados.

O evento acontecerá na Universidade Federal do Rio Grande - FURG, nos dias 25 a 27 de agosto de 2011.

Para maiores informações acesse o site do evento:


domingo, 6 de fevereiro de 2011

... reflexos da moda de um modo ...

O estado das universidades brasileiras
Nossa juventude está sendo bombardeada por mensagens que endeusam o chamado "empreendedorismo". Os recipientes são estudantes das engenharias e ciências da computação, como também físicos, químicos e biólogos. Os apelos ao empreendedorismo deixam de mencionar que uma empresa de base tecnológica depende do aparecimento de uma idéia que não surge do ar, mas é pacientemente garimpada entre princípios científicos, experimentos e, principalmente, conhecimento de causa. O artigo é de Maurizio Ferrante. 

Depoimento de um experiente leitor de quadros de avisos

Uma fonte de informações interessantes do estado atual da academia é representada pelos quadros de avisos de universidades. Entre anúncios tipo - aluga-se vaga em república feminina, vendem-se bicicleta com 12 marchas, geladeira semi-nova e um Gol 1998 em bom estado - aparecem chamadas vagamente relacionadas com estudo e carreira; por exemplo, avisos de palestras e cursos.

Um tema que vem aparecendo mais e mais nos quadros de aviso, mas também em jornais e revistas que de vez em quando se ocupam de educação e afins, é o empreendedorismo. Assim mesmo: com dois ‘és’. Todos nós sabemos do que se trata: uma atitude independente e corajosa, que pressupõe espírito de iniciativa, destemor ao risco e, por fim, conhecimento técnico, atitudes “manageriais” e um bocado de ambição.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

... um dos lados nefastos do capital ...

O Egito foi o segundo grande receptor de ajuda externa dos Estados Unidos durante décadas, depois de Israel (sem contar os fundos gastos nas guerras e ocupações do Iraque e Afeganistão). O regime de Mubarak recebeu cerca de 2 bilhões de dólares ao ano desde que assumiu o poder, em sua imensa maioria para as forças armadas. Onde foi parar esse dinheiro? Em geral, foi para empresas estadunidenses. O dinheiro vai para o Egito e logo volta para pagar aviões F-16, tanques M-1, motores de aviões, mísseis, pistolas e latas de gás lacrimogêneo.
 Mais de dois milhões de pessoas se manifestaram naquele dia em todo o Egito: a maioria delas inundaram a praça Tahrir, no Cairo. Tahrir, que significa “libertação” em árabe, se converteu no epicentro do que parece ser uma revolução em grande medida pacífica, espontânea e sem líderes no país mais povoado do Oriente Médio. Este incrível levante que desafio o toque de recolher militar, foi conduzido pelos jovens, que constituem a maior parte dos 80 milhões de habitantes do país. Twitter, Facebook e as mensagens de texto de telefones celulares ajudaram esta nova geração a vincular-se e organizar-se, apesar de viver há três décadas em uma ditadura apoiada pelos Estados Unidos.
Em resposta, o regime de Mubarak, com a ajuda de empresas estadunidenses e europeias, cortou o acesso à Internet e restringiu o serviço de telefonia celular, deixando o Egito em uma situação de obscuridade digital. C.W. Anderson comentou a respeito de se o que estava ocorrendo no Oriente Médio era uma espécie de revolução do Twitter: “não é a tecnologia, mas sim as pessoas que fazem a revolução”.
 

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

... um dia de reclamação pelos direitos do consumidor

Vamos começar a pilhar as plataformas de videos com nossas queixas e reclamações sobre os maus serviços aos quais somos submetidos todos os dias!!!